quinta-feira, 4 de agosto de 2011

Origem dos Dez Mandamentos

 O recebimento de Deus dos Dez Mandamentos é um dos mais significativos acontecimentos do Antigo Testamento. A formação da nação judia está conectada com os Dez Mandamentos. Realmente, antes do recebimento dos mandamentos, no Egito vivia uma tribo semítica de escravos humildes e embrutecidos; após a legislação do Sinai surgia o povo chamado para crer e servir a Deus. Deste povo surgiram os grandes profetas, apóstolos e santos dos primeiros tempos do cristianismo. Deste mesmo povo nasceu da carne o Próprio Salvador do mundo — o Senhor Jesus Cristo.
As circunstâncias do recebimento dos Dez Mandamentos são narradas no livro do Êxodo, capítulos 19, 20 e 24. Há aproximadamente 1500 anos antes do Nascimento de Cristo, após os grandes milagres realizados pelo profeta Moisés no Egito, o faraó foi forçado a soltar o povo hebreu, o qual tendo atravessado milagrosamente o Mar Vermelho, caminhou para o sul pelo deserto da península de Sinai, dirigindo-se à terra prometida. No qüinquagésimo dia após a saída do Egito, o povo hebreu chegou ao pé do monte Sinai e ali acampou. Moisés subiu ao alto do morro e o Senhor o chamou nestes termos: "Diga aos filhos de Israel: se obedecerdes à Minha voz e guardardes Minha aliança, sereis o Meu povo." Quando Moisés comunicou aos israelitas as palavras que Deus lhe ordenara repetir, eles responderam: "Faremos tudo o que o Senhor disse." Então o Senhor instruiu Moisés para preparar o povo a receber os mandamentos sob abstinência, jejum e orações. No terceiro dia uma nuvem espessa cobria a montanha. Relampeava, ouvia-se o estrondo de trovões e o som da trombeta soou com força. Todo o monte Sinai fumegava e tremia com violência. A multidão se encontrava à distância e observava tudo com tremor. Do cume do monte Sinai o Senhor proclamou Sua lei na forma de Dez Mandamentos, os quais depois foram expostos ao povo pelo profeta.
Tendo recebido os mandamentos, o povo israelita prometeu observa-los, e então ficou concluído o Testamento (aliança) entre Deus e os hebreus, que insistia na promessa que o Senhor fez ao povo de Sua misericórdia e proteção, e eles por sua vez prometeram viver honradamente. Depois disto Moisés subiu novamente à montanha e permaneceu ali jejuando e orando durante quarenta dias e quarenta noites. Ali o Senhor deu a Moisés outras leis eclesiásticas e civís; ordenou que fosse edificada uma tenda-templo transportável e ditou regras a respeito de serviços sacerdotais e realização de oferendas em sacrifício. Ao final de quarenta dias Deus escreveu Seus Dez Mandamentos, expostos antes por palavras, sobre duas tábuas de pedra (placas) e ordenou que essas placas fossem guardadas na "Arca da Aliança" (Arca dourada com querubins esculpidos sobre a tampa) para perpétua lembrança da Aliança entre Ele e o povo israelita. (O paradeiro das placas de pedra contendo os Dez Mandamentos é desconhecido. No 2o capítulo do segundo livro de Macabeus está escrito que durante a destruição de Jerusalém por Nabucodonosor no 6o centenário antes do Nascimento de Jesus, o profeta Jeremias escondeu as placas e alguns outros pertences do templo em uma caverna do Monte Nebo. Esse monte situa-se a 20 km a este do lugar onde o rio Jordão desemboca no mar Morto. Pouco antes da entrada dos israelitas na terra Prometida (1.400 anos A . C). nesse mesmo monte foi enterrado o profeta Moisés. As repetidas tentativas para encontrar as placas de pedra com os Dez Mandamentos não foram coroadas de êxito).
Trazemos a seguir esses mandamentos.
  1. Eu sou o Senhor teu Deus, não terás outros deuses além de Mim.

  2. Não farás para ti esculturas, nem figura alguma do que está em cima nos céus, ou embaixo sobre a terra, ou nas águas, debaixo da terra; não te prostrarás diante delas e não lhes prestarás culto.
  3. Não pronunciarás em vão o nome do Senhor teu Deus.
  4. Lembra-te de santificar o dia do descanso; trabalharás durante seis dias e farás toda tua obra. Mas no sétimo dia — que é um repouso em honra do Senhor teu Deus, não farás trabalho algum.
  5. Honra teu pai e tua mãe, para que teus dias se prolonguem sobre a terra.
  6. Não matarás.
  7. Não cometerás adultério.
  8. Não furtarás.
  9. Não levantarás falso testemunho contra teu próximo.
  10. Não cobiçarás a mulher do teu próximo e não cobiçrás a casa do teu próximo, nem seu escravo, nem sua escrava, nem seu boi, nem nada do que lhe pertence

1 comentários:

Servo Raimundo Sousa disse...

Muito bom amiga, deus é perfeito e por causa disso deixou sua perfeição para seguirmos...
A Paz

Postar um comentário

comente por favor

Deus éh bom